Redes Sociais

Leitura Dinâmica

Vamos nos doar ou nos vender???
Artigo publicado em: 02/07/2017
Compartilhe

Existe uma diferença mínima nas traduções das ações que realizamos em nosso cotidiano. Algumas vezes, parece até que estamos sendo contraditórios em algumas situações, mas na verdade temos que nos levar pelo nosso senso, sobretudo, moral.

Defender alguma ideia, algum ponto de vista, algum governo ou alguma situação porque houve entendimento no momento para aquilo é algo fascinador e que acaba por nos incentivar a melhorar, cada vez mais. Na igreja, na empresa onde trabalhamos ou mesmo na relação familiar e com os amigos, o gostoso, é nos doar, não nos vendermos; nunca!

Por anos, a relação predominante no Brasil (se ainda não for) é a política de compra e venda de pessoas; inicialmente, essa relação era feita literalmente, quando pessoas daqui eram vendidas como produtos no sistema chamado de escravidão. De tempos pra cá a coisa melhorou mas, infelizmente, a venda de pessoas continua, mas agora, a influência não é direta, mas indireta.

Digo sempre que a escravidão ainda existe no Brasil e só mudou a forma de aplicação da ação: ao invés de exercer o poder com autoridade externada com gestos, chicote e xingamentos, agora o processo é feito psicologicamente e os senhores feudais ainda continuam a existir só que agora muito mais amados pelos seus escravos que muitas vezes não recebem nem o pão pra comer e o casarão para dormir.

Confesso, nunca consegui aceitar goela abaixo; tenho dificuldades para fazer algo deixando meu cérebro de fora. Sempre procuro entender cada detalhe, cada situação para logo depois me envolver e esse processo é extremamente melhor porque ao invés de fazermos algo porque precisamos de resultados; acabamos fazendo porque sabemos dos reais objetivos e frutos desta ou daquela ação.

De fato, nos doarmos é muito melhor que nos vendermos. Mas, como disse acima, para que haja essa doação é preciso que, pelo menos, entendamos, o que nos apresenta e é por isso que é importante a participação do povo em alguma realização ou pensamento público.

Pratique sabedoria, não se venda, se doe àquilo que você acredita e percebe que vai gerar resultados para a sociedade como um todo.

Comente este artigo