Redes Sociais

Leitura Dinâmica

Política Eleitoral. É preciso participar!
Artigo publicado em: 18/08/2016
Compartilhe

Ainda que como um cidadão que nunca se filiou a nenhum partido político e que por este motivo não aprendeu a defender nenhuma das bandeiras, nem esquerda, nem da direita, acredito ser primordial que participemos, todos nós, da Política eleitoral.

Todas as políticas públicas da vida do cidadão têm ações decididas a partir do desenho que é feito dentro da Política Eleitoral, logo, se deixarmos de participar das discussões e até das escolhas de nomes podemos criar ou permitir existir situações que vão refletir diretamente em nossas vidas, na vida das nossas famílias, muitas vezes, conflitando com os ideais do povo.

A Política Pública, conforme disse em um de seus magistrais artigos o pensador político David Easton é “exatamente como uma teia, ou seja, conjuntos de ideias em construção que ao final de tudo formam valores”. Nesta disposição, é de bom senso entender que nossa participação deve ir muito além de um rompante direto e ativo revelado por meio debates partidaristas, mas entendo que precisamos conhecer e analisar cada cenário apresentado pela Política Eleitoral e tomarmos a melhor decisão; já que as escolhas que faremos vão formar atores que atuarão diretamente em nossas vidas, por meio de ações realizadas para as Políticas Públicas.

Seria interessante analisarmos os nomes, as qualidades, suas ideias e, principalmente, a capacidade de cada um em desenvolver ações a partir de sugestões da comunidade. Não permita-se ser arrastado pelo “olê, olá” e não deixe sua massa cinzenta parar de funcionar diante de um atrativo ou outro proporcionado por um ou outro candidato durante, apenas, 45 dias. Neste período eleitoral vejo pessoas mudando de ideias no estalo de dedos; pensamentos que antes eram defendidos com unhas e dentes de um dia para o outro se transformam e tudo vira sorriso. Síndrome de Estocolmo?

Em verdade, entre o nojo dos sorrisos falsos na cara de muitos atores da política eleitoreira e entendendo a importância da nossa participação na escolha dos nomes que amanhã estarão nos representando, precisamos nos vestir de coragem, ir para o campo, deixando de receber apenas o que este ou aquele projeto de candidato nos envia e entender e conhecer, de fato, quem são os que defenderão nossos direitos amanhã. Política eleitoral, é chata, desgastante, falsa... mas precisamos participar!

Comente este artigo